Biblioteca: Produção de mudas

produção de mudas de bambu em larga escala é uma das questões mais discutidas pelos bambuseiros e uma dificuldade que precisa ser vencida. Falta o reconhecimento da planta como cultura e isso tem afetado a divulgação do potencial do bambu, o que dificulta o início de uma cadeia produtiva em seus diversos aspectos.

Embora exista uma lei sancionada que dispõe sobre a Política Nacional de Incentivo ao Manejo Sustentado e o Cultivo ao Bambu e das outras providências (lei nº 12.484, de 8 de setembro de 2011), ainda não existem linhas de financiamento para a sua implementação.

Algumas técnicas para a produção de mudas de bambu vêm sendo utilizadas, porém, não são adequadas quando se pensa em criar uma cadeia produtiva, onde a quantidade é fundamental.

A produção através de sementes, por exemplo, enfrenta o problema do tempo, que pode levar até 100 anos para que haja uma floração e consequente germinação.

Outra maneira de se obter mudas de bambu é por meio da técnica de desdobramento de touceiras ou rizomas, possibilidade cara e de baixo rendimento, mas com a vantagem de uma formação mais rápida das touceiras. Neste caso, a planta entende fazer parte de uma estrutura adulta e emite brotos como a de uma touceira já formada.

Já o procedimento do copinho e colmo deitado é muito utilizado, no entanto, a taxa de enraizamento é baixa, além de ocupar muito espaço no viveiro. Vale ressaltar que neste caso, as mudas de bambu quando prontas atingem cerca de um metro de altura, tornando inviável a prática comercial do ponto de vista logístico.

A Casa & Bambu tem trabalhado em outras técnicas para a produção de mudas de bambu e os testes vêm sendo aplicados nas espécies Dendrocalamus asper, Dendrocalamus latiflorus, Guadua chacoensis e Guadua angustifolia. Estes experimentos têm por objetivo a produção em escala de mudas de bambu pequenas no menor tempo possível.

Para alcançar estes objetivos, uma série de padrões estão sendo seguidos, como a criação de um jardim clonal e de um ambiente com temperatura controlada e matrizes selecionadas. Os resultados das pesquisas

têm se mostrado satisfatórios e já pode ser registrado um avanço significativo em métodos que visam uma formação mais homogênea em todas as etapas do processo.

O avanço tecnológico na produção de mudas de bambu é de extrema importância para cooperar com o fomento da cadeia produtiva do bambu, tendo em vista que a produção de mudas de bambu faz parte da primeira etapa do seu ciclo.

Em outras culturas o plantio mecanizado já é uma realidade em plantações de grande porte, isso só será possível com o bambu quando tivermos mudas de bambu padronizas com o tamanho que atenda as exigências para esse procedimento.

O bambu pode ser muito bem utilizado na indústria moveleira, na forma de tábuas laminadas, entra outras técnicas. Também na bio construção o seu uso é bastante versátil. Como matéria prima para a produção de celulose. Outra excelente alternativa de uso é na forma de biomassa, triturado para abastecer fornos de olarias e indústrias cerâmicas. Além disso, a sua utilização como planta pode ajudar a recuperar áreas degradadas, formar novas florestas e é uma das formas de resgatar créditos de carbono.


Jonas Reis - Casa & Bambu.

A produção de mudas de bambu em larga escala é uma das questões mais discutidas pelos bambuseiros e uma dificuldade que precisa ser vencida. Falta o reconhecimento da planta como cultura e isso tem afetado a divulgação do potencial do bambu, o que dificulta o início de uma cadeia produtiva em seus diversos aspectos.

Embora exista uma lei sancionada que dispõe sobre a Política Nacional de Incentivo ao Manejo Sustentado e o Cultivo ao Bambu e das outras providências (lei nº 12.484, de 8 de setembro de 2011), ainda não existem linhas de financiamento para a sua implementação.

Algumas técnicas para a produção de mudas de bambu vêm sendo utilizadas, porém, não são adequadas quando se pensa em criar uma cadeia produtiva, onde a quantidade é fundamental.

A produção através de sementes, por exemplo, enfrenta o problema do tempo, que pode levar até 100 anos para que haja uma floração e consequente germinação.

Outra maneira de se obter mudas de bambu é por meio da técnica de desdobramento de touceiras ou rizomas, possibilidade cara e de baixo rendimento, mas com a vantagem de uma formação mais rápida das touceiras. Neste caso, a planta entende fazer parte de uma estrutura adulta e emite brotos como a de uma touceira já formada.

Já o procedimento do copinho e colmo deitado é muito utilizado, no entanto, a taxa de enraizamento é baixa, além de ocupar muito espaço no viveiro. Vale ressaltar que neste caso, as mudas de bambu quando prontas atingem cerca de um metro de altura, tornando inviável a prática comercial do ponto de vista logístico.

A Casa & Bambu tem trabalhado em outras técnicas para a produção de mudas de bambu e os testes vêm sendo aplicados nas espécies Dendrocalamus asper, Dendrocalamus latiflorus, Guadua chacoensis e Guadua angustifolia. Estes experimentos têm por objetivo a produção em escala de mudas de bambu pequenas no menor tempo possível.

Para alcançar estes objetivos, uma série de padrões estão sendo seguidos, como a criação de um jardim clonal e de um ambiente com temperatura controlada e matrizes selecionadas. Os resultados das pesquisas

têm se mostrado satisfatórios e já pode ser registrado um avanço significativo em métodos que visam uma formação mais homogênea em todas as etapas do processo.

O avanço tecnológico na produção de mudas de bambu é de extrema importância para cooperar com o fomento da cadeia produtiva do bambu, tendo em vista que a produção de mudas de bambu faz parte da primeira etapa do seu ciclo.

Em outras culturas o plantio mecanizado já é uma realidade em plantações de grande porte, isso só será possível com o bambu quando tivermos mudas de bambu padronizas com o tamanho que atenda as exigências para esse procedimento.

O bambu pode ser muito bem utilizado na indústria moveleira, na forma de tábuas laminadas, entra outras técnicas. Também na bio construção o seu uso é bastante versátil. Como matéria prima para a produção de celulose. Outra excelente alternativa de uso é na forma de biomassa, triturado para abastecer fornos de olarias e indústrias cerâmicas. Além disso, a sua utilização como planta pode ajudar a recuperar áreas degradadas, formar novas florestas e é uma das formas de resgatar créditos de carbono.

imagem semente de bambu
imagem muda de bambu
imagem colmo deitado
imagem rizoma de bambu gigante

Tecnologia Casa & Bambu

Semente 

Divisão de touceira ou rizoma

Copinho ou colmo deitado